ADUFPA - Trabalhadores da Fadesp fazem paralisação de 24 horas

Associação de Docentes da UFPA

Seção sindical do ANDES-SN

Olá visitante

Login ▼

Publicado em 14/06/2017

Trabalhadores da Fadesp fazem paralisação de 24 horas

Esperar cansa, ainda mais se o que se espera é uma posição sobre ajuste salarial. Nesta semana, os trabalhadores Fadesp da Universidade Federal do Pará (UFPA) deram basta à espera e partiram para a ação. Funcionários do Hospital Bettina Ferro de Souza (HUBFS), do Hospital Barros Barreto (HUJBB) e do Restaurante Universitário (R.U) paralisaram por 24 horas seus setores de trabalho, no último dia 13, e ocuparam o gabinete do reitor Emmanuel Tourinho para exigir uma resposta imediata sobre a Campanha Salarial 2017.

 

Após a pressão dos técnicos, que compareceram em grande número ao protesto, Tourinho assegurou que uma proposta de reajuste já foi enviada ao superintendente do Complexo Hospitalar da UFPA, Paulo Roberto Amorim. Como consequência da manifestação, foi marcada então uma reunião com Amorim nesta quarta-feira, 14, às 15h, no Barros Barreto, e outra novamente com Tourinho, dia 23. A expectativa do Sindtifes é que os trabalhadores compareçam em massa mais uma vez e consigam, junto com a comissão de negociação, encerrar os trâmites para que o novo reajuste seja acordado.

 

Todo os anos os trabalhadores da UFPA organizam a luta pelo reajuste salarial e melhores condições de trabalho. No início do ano de 2017, foram realizadas assembleias de base que elegeram a comissão de negociação com a Administração Superior e aprovaram a pauta da campanha salarial. A comissão e o Sindtifes reuniram então com o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (DIEESE) para fechar a proposta de reajuste com base nos índices econômicos.

 

No mês de março a proposta foi protocolada. No entanto, até o momento, não houve nenhuma resposta da Administração Superior da UFPA, da Fadesp ou da superintendência do Complexo Hospitalar (EBSERH). Em reação ao descaso e ao desrespeito, os trabalhadores decidiram agir. “A paralisação é para demonstrar a total insatisfação da categoria. Desde o início do ano os salários vêm sendo pagos com atrasos absurdos! Muita irresponsabilidade dos gestores que sabem que sem os trabalhadores da Fadesp os hospitais universitários não funcionam”, afirmou Taís Ranieri, da coordenação de comunicação do Sindtifes.

 

Fonte: Sindtifes