ADUFPA - Manifestantes protestam contra Temer no centro comercial de Belém

Associação de Docentes da UFPA

Seção sindical do ANDES-SN

Olá visitante

Login ▼

Publicado em 02/08/2017

Manifestantes protestam contra Temer no centro comercial de Belém

Manifestantes fizeram um ato público na manhã de hoje, 2, no centro comercial de Belém, a fim de denunciar o ‘acordão’ costurado na Câmara Federal, para barrar a tentativa de investigação do presidente da República pelo Supremo Tribunal Federal (STF) por crimes de corrupção. A manifestação, organizada pela CSP-Conlutas com o apoio da ADUFPA, foi uma forma de pressionar, na base, os deputados federais da bancada paraense a votarem a favor da abertura do processo contra Michel Temer.

 

Com carro-som, panfletos e cartazes, os manifestantes se concentraram na esquina da Avenida Presidente Vargas com a Rua Santo Antônio, dialogando com quem passava pelo local e denunciando o ajuste fiscal e os ataques do governo Temer aos direitos dos trabalhadores. Durante o protesto, além de panfletos, foram distribuídos à população cartazes com as fotos dos senadores que votaram a favor da Reforma Trabalhista no último dia 11 de julho, entre eles Flexa Ribeiro (PSDB) e Jader Barbalho (PMDB).

 

Os escândalos de corrupção envolvendo a cúpula do governo Temer e grande parte dos parlamentares federais também foram bastante criticados e tiveram apoio da população que transitava pelo centro comercial. Entre os transeuntes, era comum a afirmação de que os deputados que votarem a favor de Temer não serão reeleitos em 2018.

 

A manifestação no centro comercial de Belém ocorreu no mesmo dia em que está prevista a votação, na Câmara Federal, da autorização ou não para que o STF processe o presidente Michel Temer. Em meio a protestos e tumultos no plenário da Câmara, a sessão foi aberta nesta manhã e a previsão é que a votação tenha início quando o quórum qualificado de 342 deputados for alcançado.

 

Além da CSP-Conlutas e da ADUFPA, o protesto contou com o apoio e participação de entidades como o Sindtifes, o SINTSEP, a Asfunpapa e o Sindicato dos Trabalhadores da Construção Civil.