ADUFPA - Encontro alerta docentes sobre o risco dos empréstimos consignados

Associação de Docentes da UFPA

Seção sindical do ANDES-SN

Olá visitante

Login ▼

Publicado em 21/05/2018

Encontro alerta docentes sobre o risco dos empréstimos consignados

Em formato de roda de conversa, professores da UFPA debateram as armadilhas dos empréstimos e consignações durante o III Encontro de Aposentados e Aposentáveis da ADUFPA, na tarde da última sexta-feira, 18, na Casa do Professor.

 

A discussão foi mediada pelo professor José Carneiro, que falou sobre como as instituições financeiras intervém nas políticas públicas e criticou as ações do Banco Mundial, que formulou a atual política de crédito dos países em desenvolvimento, e incentivou o governo brasileiro a facilitar empréstimos consignados a servidores públicos.

 

A medida, segundo Carneiro, aumentou a lucratividade dos bancos e elevou consideravelmente o endividamento dos servidores, em especial de aposentados. “Os aposentadores são literalmente enganados pelas facilidades apresentadas pelas instituições financeiras”, afirmou Carneiro.

 

Atualmente, no Brasil, 44 bancos estão autorizados a fazer empréstimos consignados. Alguns professores denunciaram que estão sendo assediados pelas instituições financeiras até dentro de sala de aula na UFPA e relataram situações de endividamento por conta da diminuição do poder aquisitivo, em decorrência da crise. Eles reforçaram a necessidade de construção de uma nova greve geral e fortalecimento da luta em defesa de melhores salários e recuperação do poder de compra da categoria.

 

A discussão sobre endividamento dos docentes segue uma orientação do ANDES-SN, que nacionalmente, pretende promover debates para alertar sobre os riscos dos empréstimos consignados. O Sindicato Nacional também fará uma audiência com o Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG), para questionar como os bancos estão tendo acesso aos dados dos docentes e cobrar uma atitude do governo para coibir o assédio e a farra das instituições financeiras.