ADUFPA - Professores e técnico-administrativos da UFPA paralisam atividades contra EC 95

Associação de Docentes da UFPA

Seção sindical do ANDES-SN

Olá visitante

Login ▼

Publicado em 08/06/2018

Professores e técnico-administrativos da UFPA paralisam atividades contra EC 95

Professores e técnico-administrativos da UFPA paralisaram suas atividades neste dia 7 de junho, para reivindicar a correção salarial de 25,63% e exigir a revogação da Emenda Constitucional (EC) 95, que determina um teto de gastos nos serviços públicos e congela os investimentos sociais por duas décadas no Brasil. Convocado pelo Fórum Nacional das Entidades dos Servidores Públicos Federais (Fonasefe), o dia de paralisação foi marcado por atos e piquetes em todo o país.

 

Em Belém, os portões da UFPA amanheceram fechados. Docentes e técnico-administrativos se concentraram no local desde as primeiras horas da manhã, explicando para a população os motivos da paralisação e a necessidade de resistir aos ataques do governo Temer. Além da UFPA, também aderiram à paralisação nacional no Pará, servidores da Ufra, do Incra, da Funasa, do DNPM e da Sudam. Trabalhadores do Instituto Evandro Chagas também participaram da mobilização, fazendo panfletagem na porta do órgão.

 

Após as mobilizações em frente aos órgãos, os servidores federais se concentraram na Praça da República, no centro de Belém, onde fizeram um ato público unificado. “Nossa luta é pela valorização do serviço público para um melhor atendimento à população em geral e em defesa da universidade pública e gratuita enquanto um espaço de formação de qualidade. Nosso objetivo é derrubar esse governo, que não pensa em nenhum momento na população, pois está à serviço do capital”, destacou o professor Waldir Abreu, da diretoria da ADUFPA.

 

O dia também foi marcado por protestos em Brasília. Pela manhã, os servidores se concentraram em frente ao Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (Mpog), onde cobraram uma resposta à pauta de reivindicações da Campanha Salarial 2018, protocolada no dia 19 de fevereiro. À tarde, a categoria lançou na Esplanada dos Ministérios uma campanha pela revogação da EC 95.

 

Os servidores federais seguirão pressionando o governo pela abertura das negociações e já programam uma Caravana à Brasília para o próximo dia 19 de junho, como parte da Jornada de Lutas em defesa dos serviços públicos e pela revogação da EC 95, organizada pelo Fonasefe.