Bolsonaro duplica salário em benefício próprio e de amigos

Bolsonaro duplica salário em benefício próprio e de amigos

Desemprego, inflação alta, fome e ausência de um auxilio emergencial digno formam o pacote dado pelo governo aos milhares de brasileiros que convivem hoje com a carência extrema. Segundo dados do Ministério da Cidadania, 39,9 milhões de pessoas vivem na extrema pobreza no Brasil, famílias que vivem com renda per capita de até R$ 89 por mês.

 

Mesmo com um cenário alarmante de crise sanitária, o governo Bolsonaro não recua com o seu projeto genocida e de esvaziamento dos cofres públicos em benefício próprio. Uma portaria publicada no dia 29 de abril altera a regra salarial algumas categorias do funcionalismo público, privilegiando o presidente da República, ministros, servidores civis aposentados e militares da reserva, em cargos comissionados ou eletivos, promovendo teto salarial de até R$78.586,64.

 

Atualmente o teto constitucional é de R$ 39,2 mil, valor do salário dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF). De forma descarada, a manobra permite que Bolsonaro e ministros tenham ganhos acima do teto, com acumulação de aposentadoria e salário. O “teto duplex”, como é apelidada a nova norma, deve gerar um impacto de R$ 181,32 milhões na economia.

 

Tal medida deixa clara a intenção de Bolsonaro ao excluir 22,6 milhões de pessoas do Auxilio Emergencial e reduzir o benefício ao vergonhoso valor atual. São 45,6 milhões de pessoas, das quais 36% têm no auxílio emergencial sua única fonte de renda.

 

Além do total desrespeito à população mais necessitada, Bolsonaro agiu de forma cruel, restringindo o pagamento do benefício somente para quem já foi contemplado em 2020, limitado a uma pessoa por família.

 

É contra essa política de morte que precisamos resistir!

 

Vacina no braço!
Comida no prato!
Auxílio Emergencial de 600 reais!
Fora Bolsonaro e Mourão!

 

 

Compartilhe:

Publicar comentário